Home Pastoral do Dízimo
Pastoral do Dízimo PDF Imprimir E-mail
Postado por Paróquia Cristo Rei   
Qui, 07 de Maio de 2015 00:00

 

DÍZIMO

MARÇO

ABRIL

INSCRITOS

618

627

EM DIA

308 (49%)

294 (47%)

EM ATRASO

310 (51%)

333 (53%)

ORAÇÃO DO DIZIMISTA E OFERTANTE

Pai de bondade, que nos chamastes à tua igreja para sermos colaboradores da missão

de teu Filho. Conscientes de nossas fraquezas e pecados, queremos te servir sob

a sua bandeiraem total disponibilidade.

Nós te pedimos, ó Pai, pelos dizimistas e ofertantes da nossa Paróquia.

Que o dízimo seja meio e instrumento de um maior e melhor serviço à igreja e ao mundo.

Que servir por meio do nosso dízimo e oferta sejam um meio de trabalhar e te servir na igreja.

Ajuda-nos a viver na nossa comunidade eclesial com alegria e disponibilidade,

com abertura e amor fraterno,

com o único objetivo de em tudo amar e servir. Amém.

 

 

 

 

FORMAÇÃO SOBRE O DÍZIMO

ANO “A”

 

MINUTO do dízimo - janeiro

ENTRE ELES NÃO HAVIAM NECESSITADOS

O estilo de vida cristã implica uma mudança radical de atitude frente aos bens terrenos, os quais são utilizados como meio para servir a Deus, à família e à sociedade.

O fim que um cristão tem em vista não é possuir cada vez mais, mas amar mais a Cristo através do seu trabalho, da sua família e também através dos bens materiais.

O cristão nunca poderá contemplar com indiferença as necessidades espirituais ou materiais dos outros. Ele deve contribuir generosamente para solucio­na-las. E há de ser consciente de que ajudando o próximo está contribuindo muito para a maior glória de Deus.

Santo Tomás de Aquino disse: “É mais útil para quem dá do que para quem recebe. quem dá tira um proveito espiritual, ao passo que quem recebe tira um proveito material.”

Mantenhamo-nos fieis à prática da caridade fraterna, por meio da contribuição do Dízimo e oferta, que nos torna responsáveis pela manutenção da Igreja e Pastorais.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo - fevereiro

DÍZIMO DOS FARISEUS E DOUTORES DA LEI.

Em Mt 23,23 lê-se: “Ai de vocês, doutores da Lei e fariseus hipócritas! Vocês pagam o Dízimo... e deixam de lado os ensinamentos mais  importantes da Lei, como a justiça, a misericórida e a fidelidade. Vocês deveriam praticar isso, sem deixar aquilo”.

Nota-se claramente que Jesus não se comportou como antidizimista, muito pelo contrário, sua posição foi favorável ao Dízimo.

Jesus não despreza o Dizimo. O que Jesus rejeita é a hipocrisia que esse zelo ocultava, pois com isso justificavam-se em relação aos outros deveres: a justiça, a misericórdia e a fidelidade.

Não devemos nunca cair nesta hipocrisia. Ser dizimista não me isenta das outras obrigações, como também não posso dizer que sou justo, misericordioso e fiel se não sou dizimista e ofertante.

"A comunidade se CONSTRÓI com a participação de todos".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

MINUTO DO DÍZIMO - MARÇO

A OFERTA DA VIÚVA POBRE

Lemos em Lucas 21 e em Marcos 12 a passagem na qual Jesus observa os ofertantes e repara que a viúva, na sua pobreza, ofertou tudo o que possuía para viver. A oferta da pobre viúva, comparada com a dos ricos, passava despercebida. Para que serviriam uns poucos centavos? Uma Oferta inútil, irrelevante, sem nenhuma importância.

Porém, na percepção de Jesus, o gesto da pobre viúva expressava total confiança na providência divina. Os ricos davam do seu supérfluo, a viúva foi capaz de arriscar tudo, por saber que tudo era dom de Deus.

O Exemplo desta viúva é, para Jesus, a regra de ouro no entendimento de como deve ser efetuada nossa partilha pelo Dízimo e Oferta. Jesus repara nas disposições interiores que movem o agir; não olha para a quantidade que se oferece, mas para o afeto com que se oferece. Na pessoa dessa mulher o Senhor elogia a generosidade das Ofertas e Dízimos destinados à manutenção da Comunidade.

 

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

MINUTO DO DÍZIMO - ABRIL

A RESSURREIÇÃO TRANSFORMA

Os primeiros cristãos manifestaram o seu amor à Igreja mediante a prática de uma caridade que venceu todas as barreiras sociais, econômicas, raciais e culturais. Aqueles que tinham bens materiais repartiam-nos com os que careciam deles, e todos rezavam uns pelos outros, animando-se mutuamente a perseverar na fé de Cristo.

Diga-se de passagem: foi justamente a pregação dos apóstolos sobre a Ressurreição do Senhor que desencadeou uma transformação total nos ouvintes, ricos e pobres.

Que o Ressuscitado nos transforme e nos faça fieis à prática da caridade fraterna, por meio da contribuição do Dízimo e oferta, que nos torna responsáveis pela manutenção da missão da sua Igreja de Cristo Rei.

"a comunidade se CONSTRÓI com a participação de todos".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

MINUTO do dízimo - maio

DISPOSIÇÃO DE AJUDAR

Lemos em 2º Coríntios 9,1-5 “Com respeito ao auxílio a prestar aos irmãos, acho quase supérfluo continuar a escrever-vos. Porquanto estou ciente de vossa boa vontade, que enalteço... . O exemplo de vosso zelo tem estimulado a muitos...”

Esta passagem bíblica fala da disposição dos coríntios a contribuir para a propagação do Evangelho. Já haviam ofertado em outra oportunidade e queriam fazê-lo mais vezes.

Quando li este texto, pensei que deveria falar sobre a disposição de ajudar. Ocorreram-me as desculpas que as pessoas inventam para dizer que não podem ajudar. Nota-se isso diariamente, na vida da comunidade e no dia-a-dia dos cristãos. A necessi­dade de ajudar sempre existe, o que falta são pessoas dispostas.

O que motivou os cristãos de Corinto a tomar essa atitude? Eles estavam convencidos de que eles próprios haviam sido ajudados por Deus.

Também nós fomos e somos ajudados por Deus. Isto nos motiva a Trabalhar na difusão do Evangelho através das nossas ofertas, dízimo, dons e do nosso trabalho. Uma não nega o outro.

"A COMUNIDADE SE CONSTRÓI COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

MINUTO do dízimo - junho

A VERDADEIRA PURE­ZA

Há em Lc 11, um pequeno versículo imprensado no longo texto que relata os ataques de Jesus contra os letrados e fariseus, correspondente a preocupação exage­rada destes com a pureza ritual e cultual. O versículo 41 diz: Antes, dai esmola do que vós possuís e tudo ficará puro para vós”.

Quando Nosso Se­nhor atrela o fato de dar esmola com a "verdadeira pure­za", Ele está desmascarando a mesquinhez dos fariseus em relação a Deus e aos pobres, ou seja, para Jesus, o verdadeiro processo de purificação tem início no interior do ser humano. Chega-se à verdadeira religião pela pureza interior, que consiste em superar a avareza e a cobiça, doando-se e partilhando com a Igreja, os empobrecidos e crendo na fraternidade. Pois "se o vosso coração for bom e puro. tudo será puro".

"O DIZIMISTA É PARCEIRO DA COMUNIDADE".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA LOUVADO.

 

MINUTO do dízimo 1º final de semana - julho

AS OFERTAS DE ABEL E CAIM

Lemos em Gênesis que “Caim apresentou produtos do solo como oferta a Javé. Abel, por sua vez, ofereceu os  primogênitos e a gordura do seu rebanho. Javé gostou da Oferta de Abel e não da de Caim.”

O que tornou mais grata a oferenda de Abel, não foi a quantidade, mas a sua entrega e generosidade. Por isso Deus olhou com agrado para a sua oferta.

Na nossa vida, o melhor deve ser para Deus: o  melhor do nosso tempo, da nossa vida, dos nossos bens. Não podemos dar-lhe o pior, o que sobra, o que não custa sacrifício.

Você quer que Deus se agrade de você? Então trilhe o caminho de Abel que foi fiel a Deus, dando o melhor de si e dos seus bens.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

MINUTO do dízimo 2º final de semana - julho

O DÍZIMO ENTREGUE POR ABRAÃO

 

Foi Abrão a primeira pessoa a reconhecer que tudo pro­vém de Deus e lhe entrega o Dízimo de tudo. O que interior­mente motivou este gesto de Abrão, uma vez que o fez sem a prescrição da Lei? À semelhança de Abel, que entregou o Dízimo motivado pela fé, Abrão fez o mesmo. A fé, portanto, foi o caminho pelo qual Abrão trilhou para a entrega do Dízimo ao Sacerdote Melquisedec. Este deve ser indiscutivelmente o caminho do crente católico no trato com o Dízimo e as ofertas. Diga-se de passagem, a prática do Dízimo e das ofertas, é ainda ausente em muitos cristãos católicos, deixando-os indiferentes e neutros frente ao quinto mandamento da sua igreja.

 

"DÍZIMO NÃO É UMA QUESTÃO DE FALTA OU SOBRA DE DINHEIRO, É UMA QUESTÃO DE FÉ."

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo 3º final de semana - julho

JACÓ PROMETE O DÍZIMO AO SENHOR.

 

Enquanto o Dízimo de Abrão foi extraído dos des­pojos de um combate, o Dizimo de Jacó foi fruto de um voto condicional que fez com o Senhor, como lemos em Gênesis 28, 20-22: “Se Deus for comigo, se ele me guardar durante esta viagem que empreendi, e me der pão para comer e roupa para vestir, e me fizer voltar em paz à casa paterna, então o Senhor será o meu Deus.... e darei o dízimo de tudo o que me derdes.

Veja que Jacó tentou negociar com Deus, fazendo-lhe um voto sob condição. A relação de muitos cristãos para com Deus se resume nas visitas realizadas anualmente a santuários, aonde vão "pagar votos e promessas". Lembramos que não se pode confundir essa prática com a devolução do Dízimo. O único direito que temos sobre o Dízimo é este: entregá-lo ao Senhor, "pois o Dízimo é coisa consagrada a Deus" como lemos em Levíticos. Portanto, não queiramos bar­ganhar com Deus na base do "toma-lá-dá-cá" ou da troca de favores. Desta forma o Dízimo perde sua natureza essencial: gratuidade e fidelidade.

Concluo com a promes­sa do salmista: “Oferece a Deus um sacrifício de louvor e cumpre teus votos para com o Altíssimo.... e eu te livrarei e me darás glória”.

"DÍZIMO É UMA QUESTÃO DE FÉ."

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo 4º final de semana - julho

DESTINATÁRIO DO DÍZIMO

 

Em Deuteronômio 14 lê-se: “Não Abandone o levita que mora em suas cidades... você pagará o Dízimo da colheita. Então virá o levita... o imigrante, o órfão e a viúva, e comerão até ficarem saciados.”

Pela Lei, o Dízimo bíblico era des­tinado à tribo levítica, e aos sacerdotes desta tribo. Eles recebiam e se mantinham do Dízimo das outras tribos, porque na distribuição da terra prometida, era a única que não tinha recebido seu quinhão específico e além do mais dedicavam tempo integral cuidando do Santuário de Deus. Tinham como missão: Supervisionar a casa de Deus, como administradores, juízes, cantar orações, zelar por todo o santuário, recolher o Dízimo, dirigir as orações e instruir as pessoas a respeito da lei.

Segundo a Lei mosaica, portanto, os frutos dos Dízimos tendem primeiramente a prover a sustentação do culto sa­grado com seus respectivos ministros - dimensão religiosa - e, secundariamente, ao socorro dos indigentes - dimen­são social -.

Todo aquele que se diz filho de Deus deveria se sentir responsável com a comunidade e devolver a Deus, por meio da Igreja, o seu dízimo. É isso que nos ensina a Palavra de Deus.

"A COMUNIDADE SE CONSTRÓI COM

A PARTICIPAÇÃO DE TODOS".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

MINUTO DO DÍZIMO 5º FINAL DE SEMANA - JULHO

DIZIMO É AÇÃO DE GRAÇAS

É dever de todos agradecer a Deus. Nossa gratidão deve ser concreta, não apenas por palavra. Agradecemos concretamente a Deus quando nos abrimos à conversão, buscando viver integralmente o Evangelho. E quando nos comprometemos com as coisas de Deus ajudando a expansão do Evangelho. Essa ajuda não pode ser apenas por nosso testemunho e trabalho nos grupos da igreja, mas inclui também a nossa oferta material por meio do dízimo, oferta e eventuais contribuições voluntárias. Uma não nega a outra.

Se é certo que recebemos tudo de Deus, é justo que lhe ofereçamos, por meio do dízimo, oferta e doações, algo para a realização do seu reino, anúncio do Evangelho e sustento da Igreja.

Quanta gente pretende agradecer a Deus fazendo promessas, que satisfazem a si mesmo e favorecem a terceiros. Seria mais lógico agradecer oferecendo a Deus o dízimo, oferta e participando das pastorais da sua comunidade.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

MINUTO do dízimo - Agosto

OFERTA SEM MANCHA

Numa determinada paróquia, por ocasião dos festejos, o Padre recebeu a doação de certo fazendeiro; a doação era um animal. Leiloaram-no sem primeiro tê-lo visto e conferido. Para a surpresa da comunidade e do ganhador, ao tomar conhecimento da prenda, o animal era defeituoso. Obviamente o arrematador recusou-se a ficar com o animal e tiveram que lhe devolver o dinheiro.

Este fato me fez recordar da antiga e sempre atualíssima advertência de Moisés no livro de Levítico 22: “Não ofereçam animais com defeito, porque não seriam aceitos. Não ofereçam a Deus animal cego, estropiado, mutilado...Não coloquem animal nenhum com defeito sobre o altar, como oferta a Deus.”

Desta passagem tiramos uma grande lição quanto à relação da nossa Contribuição cristã, afim de que ela não se transforme em abominação. A lição nos é oferecida também por São Judas quando diz: “Ai deles, porque andaram pelo caminho de Caim, e por amor ao lucro caíram no erro de Balaão.”

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA LOUVADO.

 

MINUTO do dízimo - Setembro

DAI A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR

 

O que lemos em Mt 22,21 é polêmico e tem sido usado, impropriamente, para justificar o pagamento legal do Dízimo.

O dito de Jesus: "Dai a César o que á de César e a Deus o que é de Deus", tem tido múltiplas interpretações. No meu parecer, a mais plau­sível é esta: O imposto que os cobradores acusaram Jesus de não pagar, trata-se da contribuição anual para a sustentação do culto, que todo judeu - do sexo masculino - que tivesse completado vinte anos tinha que pagar, mesmo que vives­se fora da Palestina. Portanto, não se trata do Dízimo, mas dum tribulo religioso.

Vê-se claramente o motivo pelo qual Jesus efetuou o pagamento: "para não escandalizar".

Na qualidade de cristãos, não somos isentos da colaboração que nos pede a Igreja por meio das Ofertas e, sobretudo, pelo Dízimo. O que mudou foi que não pagamos por coação ou por prescrições da Lei Antiga, mas de acordo com nossa consciência cristã.

 

"A COMUNIDADE SE CONSTRÓI COM

A PARTICIPAÇÃO DE TODOS".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

MINUTO do dízimo - Outubro

O OPERÁRIO TEM DIREITO A SEU SALÁRIO

Lê-se em 1º Cor 9,13-14: Vocês não sabem que aqueles que desempenham fun­ções sagradas vivem dos rendimentos do templo? E aque­les que servem o altar têm parte no que é oferecido sobre o altar? Da mesma forma, o Senhor ordenou que aqueles que anunciam o Evangelho vivam do Evangelho.

Os bispos enfatizam a necessidade da destinação do Dízimo para a manutenção do sacerdote na comunidade como uma de suas finalidades e acrescenta seus reais benefícios em dois sentidos.

Primeiro: deixar os sacerdotes totalmente disponíveis para sua missão sagrada.

Segundo: Compromete-o com uma comunidade concreta em termos de presença e dedi­cação. Há portanto, uma dupla justificativa para a manu­tenção do sacerdote através do Dízimo: uma razão de justiça e uma razão pastoral.

Concluem, com ênfase, os Bispos: O cristão tem o dever de contribuir, com seu dízimo e oferta, para que a comunidade, além de auxiliar os necessitados, cuidar das pastorais e do templo, sustente dignamente seus sacerdotes. Atentai bem: os que se dedicam ao Evangelho devem viver do Evangelho.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo - Novembro

DÍZIMO É CORRESPONSABILIDADE

O Concilio Vaticano II nos diz que todo cristão, pelo batismo, se torna responsável pela Igreja de Cristo, pois somos um único corpo. Se somos responsáveis pela Igreja que está em todo o mundo, somos mais ainda responsáveis pela nossa Paróquia, onde celebramos o mistério da fé.

Uma vez que, segundo as Palavras de Cristo, somos membros de um só corpo, cada um deve sentir-se responsável especialmente pela parte em que está inserido, pois se não amamos o que vemos como podemos amar o que não vemos?

O amor pela comunidade revela maturidade quando nos leva a oferecer, com alegria e espontaneidade, o dízimo e a oferta.

Quem pode e não contribui com a sua comunidade, é um membro que não caminha de mãos dadas com  a Igreja de Jesus Cristo.     Nós, os outros, devemos respeitar sua decisão e rezar por sua conversão.

"A COMUNIDADE SE CONSTRÓI COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA LOUVADO.

 

MINUTO DO DÍZIMO - DEZEMBRO

O JESUS QUE PEDE

No enunciado divino, a coisa fica mais ou menos assim: quem  muito dá, muito terá. Pois quem dá aos homens com a alegria de quem devolve a Deus, receberá de Deus muito mais do que aquilo que aos homens deu.

Cristo veio à Ter­ra para nos trazer a salvação. Não só: fez-se Deus e apesar de tudo continua pedindo alguma coisa, por exemplo: Antes de nascer pede um “sim"; pede um lugar na estalagem; ao Batista pede o Batismo; ao Levi pede um lugar à mesa; à Samantana ele pede um pouco de água e depois pede um jumentinho para o seu ingresso Triunfal em Jerusalém; pede uma sala para realizar a Páscoa; aos discípulos prediletos pede que orem com ele por uma hora e também o seu último grito na cruz, é um pedido: "tenho sede".

Jesus tornou-se realmente o último. Por isso, precisa de to­dos. E todos podem dar-lhe alguma coisa. De você, Deus pede apenas um pouco: um Dízimo. Se Cristo, que é a cabeça da Igreja, não precisa do seu Dízimo, a sua Igreja, que é seu corpo místico, sim, precisa.

Supliquemos ao Pai que nos liberte da mesquinhez e nos faça amantes da gene­rosidade que leva à partilha.

Há mais felicidade em dar do que em receber”.

Louvado seja N.S.J.C. Para sempre seja louvado.

 

 

 

ANO “B”

 

 

MINUTO do dízimo - JANEIRO

SABER PARTILHAR

No texto de Mateus 15,29-39, é apresentada a preferên­cia de Jesus pelos pobres, enquanto Herodes prefere cear com os ricos e poderosos. Há, contudo, uma diferença entre os dois banquetes: enquanto Herodes celebra o banquete da morte com seus convivas, Jesus faz o banquete da vida com os pobres. A grande lição de Jesus, nesta passagem, está no fato de que não precisa de muito dinheiro para saciar a fome do povo.

Jesus nos ensina que é necessário apenas dar e repartir o pouco que cada um possui. Aí reside a grande dificuldade. A sociedade individualista não aceita dividir seus bens, não quer promover a dignidade do próximo, ao contrário, prefere vê-lo à margem.

Apesar dos ensinamentos de Cristo, muitos ainda são incapazes de fazer a experiência da partilha. É necessário que o povo de Deus aprenda a partilhar, confie na partilha: tudo o que se reparte torna-se até mais do que o suficiente. Rezemos a Deus para que a partilha não seja um sonho em vão, mas que seja realidade. Que cada um possa colocar o pouco que tem a serviço do outro, para que o pouco se torne o muito.

DÍZIMO É PARTILHA.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

PARA SEMPRE SEJA LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo - FEVEREIRO

ACIMA DE TUDO O AMOR

Em 1º Cor 13,1-13, São Paulo nos mostra a grandeza da ca­ridade: "... Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse toda a ciência; ... se não tiver caridade, não sou nada... Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade. A maior de­las é a caridade". A caridade deveria ser uma virtude de todo cristão. Jesus fez da caridade um novo mandamento, amando os seus até o fim. Há três grandes virtudes: a fé, a esperança e a caridade. É pela fé, esperança e caridade que eu devo me tornar um verdadeiro dizimista.

O dizimo é canal de salvação porque é por meio dele que somos libertados da avareza e do egoísmo, pois o egoísmo nos impede de praticar a caridade, virtude que atualmente está cada vez mais difícil de existir entre os seres humanos.

Quando se reconhece o verdadeiro sentido do dízimo, esse dízimo certamente será entregue com generosidade. O dizimo é partilha, compromisso de vida, oração silen­ciosa vivida em comunidade.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

PARA SEMPRE SEJA LOUVADO

 

 

MINUTO do dízimo - MARÇO

O DÍZIMO É OBRIGATÓRIO?

Esta é a pergunta fundamental. Se tivermos uma resposta exata, teremos solucionado o problema. Será? Uma pessoa fazia esta pergunta e obtinha respostas diversas. Uns diziam taxativamente que o dízimo é obrigatório. Citavam Lev. 27,30 e Mal. 3,8. O primeiro texto para justificar a obrigatoriedade, e o segundo para dizer o que acontece com aquele que não cumpre com a obrigação do dízimo. Outros diziam que o dízimo não é obrigatório: cada um dá o que quer. Coincidia com aquilo que ele queria. Cada um dar o que quer? Ela não queria dar nada; então estava tudo joia.

Esta pessoa esquece que o dízimo nos torna abertos para receber. E mais: o Dízimo nos insere na virtude da obediência a Jesus, à sua Igreja: "Dai o dízimo segundo o costume." 5º mandamento da Igreja.

DÍZIMO NÃO É UMA CONTRIBUIÇÃO,

É UMA RETRIBUIÇÃO.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - ABRIL

O DÍZIMO É OBRIGATÓRIO?

No Antigo Testamento, o dízimo é citado como uma devolução justa a Deus por tudo o que Ele deu ao homem. Tanto no passado como hoje, somos livres em devolver ou não o dízimo. Naturalmente temos que arcar com as consequências.

O que podemos observar nas escrituras é que quando o povo era fiel em devolver o dízimo, era abençoado. Por exemplo: Jacó prometeu o dízimo ao Senhor e foi abençoado. Ele cumpriu com a promessa e por isso crescia em sua integridade espiritual. Mas os filhos de Jacó endureceram seu coração, se tornam mesquinhos para com Deus, então os problemas surgem de toda sorte.

Então, o dízimo é obrigatório? No momento bastaria lembrarmo-nos de que o dízimo nos  insere na virtude da obediência a Jesus e à sua igreja: "dai o dízimo segundo o costume." 5º mandamento da Igreja.

DÍZIMO NÃO É UMA CONTRIBUIÇÃO,

É UMA RETRIBUIÇÃO.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - MAIO

O DÍZIMO É OBRIGATÓRIO?

O  dízimo é uma forma de devolver ao Doador. É interessante notar como as pessoas fazem ofertas aos deuses. Sentem necessidade de oferecer algo de si para Iemanjá ou outras entidades. E o fazem porque alguém lhes diz que estas entidades precisam das ofertas para beneficiar o ofertante. O que assistimos hoje é exatamente o que faziam os pagãos, adorando seus ídolos, apresentando-lhes oferendas. E nós ficamos a questionar se o Dízimo é obrigatório ou não. Há quem faz esta pergunta porque sabe que a resposta não vem de forma contundente. É IMPORTANTE DIZER UMA COISA: O DÍZIMO É BÍBLICO, HISTÓRICO E ATUAL. A maior motivação do Novo Testamento encontramos em 2º Cor. 9,8: Poderoso é Deus para cumular-vos com toda a espécie de benefícios, para que tendo sempre e em todas as coisas o necessário, vos sobre ainda muito para toda espécie de boas obras.

O Dízimo é um impulso divino; deve ser aceito espontaneamente, por amor. O Dízimo é uma semente. Só dará fruto se plantada e cultivada.

DÍZIMO NÃO É UMA CONTRIBUIÇÃO

É UMA RETRIBUIÇÃO.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo - Junho

QUANDO É DÍZIMO

Quando falamos de dízimo, falamos do valor entregue à comunidade paroquial. Comunidade onde participamos, onde nos alimentamos espiritualmente; o lugar onde nos reunimos para celebrar a fé e depois testemunhá-la. É neste lugar que não podem faltar os recursos necessários para que a Igreja possa desenvolver seu trabalho de evangelização, a liturgia e todos os ministérios.

Neste lugar, no templo de minha comunidade, é que meu dízimo deve ser entregue. E o que entrego nesta comunidade é simples devolução de algo que apenas está  sob minha administração, que não me pertence, pertence a Deus. Portanto, não estou fazendo nada de extraordinário. Por isso se diz que, ao devolver o dízimo, não adquirimos nenhum direito ou privilégio: estamos  devolvendo porque já recebemos. O sentido do dízimo é a gratuidade. Se por ser grato, fiel, obediente, Deus  quiser me dar mais, me abençoar, é pura bondade d’Ele, é porque Ele “jamais se deixa vencer em generosidade.

 

DÍZIMO NÃO É UMA CONTRIBUIÇÃO.

É UMA RETRIBUIÇÃO

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo 1º final de semana - julho

QUANDO É OFERTA

A oferta tem sentido muito especial. Daquilo que é meu, do que me pertence por direito, que Deus me concedeu gratuitamente, quero dar uma parte, também gratuitamente, como expressão de amor e gratidão por tudo que recebo de Deus. Cada um tem uma motivação para fazer esta oferta, que brota do coração generoso, sem obrigações, sem normas, mas pelo simples prazer de amar, de dar. Aqui muda o sentido de pertença na comunidade. Pertenço, por isso me alegro em devolver o dízimo e dar minha oferta.

Um momento muito especial para entregar a oferta é na procissão da apresentação dos dons: pão e vinho. O levantar-se do banco,  sair em procissão em direção ao altar, tem o sentido comunitário de caminhar em direção ao Senhor, para oferecer algo do que tenho e do que sou.

Toda nossa oferenda é abençoada, nós somos abençoados quando, nesta caminhada, nos colocamos no altar para que o sacerdote nos ofereça. A oferta entregue neste ato comunitário tem também o sentido de testemunho público de nossa fé e de nossa generosidade para com as coisas de Deus.

 

DÍZIMO NÃO É UMA CONTRIBUIÇÃO, É UMA RETRIBUIÇÃO.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

MINUTO do dízimo 2º final de semana - julho

COMO VEJO O DÍZIMO

O dízimo deve ser uma opção que liberta. Deve ser instrumento de espírito comunitário. Fora disto perde seu valor histórico, tradicional e bíblico. Deixa de ser expressão de fé para assumir uma posição administrativa.

O dízimo não pode ser concebido como uma opção pessoal, de contribuir sistematicamente com um valor conforme manda o coração. O DÍZIMO NÃO PODE SER TRADUZIDO EM 10% DA RENDA DE UMA PESSOA.

É verdade que dízimo significa 10%, mas a palavra em si quer expressar a tradição de reconhecer o senhorio de Deus, retribuindo-lhe parte dos bens. Que uma pessoa pobre faça a opção dos 10% é louvável e muitos o fazem. Obrigá-lo a isso é injusto. No entanto não podemos esquecer uma coisa: quem pode dar 10%  deve fazê-lo.

O dízimo deve ser um ato de fé! Porque tenho fé contribuo. E minha fé não vai e vem: ela é ou não é. Se tenho fé, expresso-a também com a contribuição do dízimo, mensal, para que a minha comunidade tenha condição de planejar suas pastorais e ajudar as mais pobres.

Deus não precisa de nada, mas eu dou para atender às necessidades da MINHA IGREJA.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo 3º final de semana - julho

AS DIMENSÕES DO DÍZIMO

O dízimo tem três dimensões: religiosa, social e missionária. Vamos refletir sobre a dimensão religiosa.

O dízimo deve me ajudar no processo de salvação. Tudo o que me leva ao encontro do Pai está dentro da dimensão religiosa. Quando eu contribuo generosamente com minha comunidade e ela me dá condições de caminhar na fé, meu dízimo assume uma importância fundamental na dimensão de salvação pessoal. Sendo dizimista, contribuo para o crescimento da fé.      Reunimo-nos no templo não para termos fé, mas porque temos fé. Vamos a ele para nos aprofundar na fé, a fim de vivê-la. E para que isto aconteça, não basta o templo: há necessidade de livro de cânticos, velas, vinho, hóstias, paramentos litúrgicos, serviço de som, objetos litúrgicos, etc.

Lembre-se que a comunidade precisa pagar a conta de luz, água, telefone, esgoto, etc. Manter uma secretaria para que os fiéis sejam bem atendidos, e não podemos esquecer que tem o salário dos funcionários e os honorários dos padres que deixaram tudo para estar à disposição da comunidade. Nós somos responsáveis pelo sustendo dos nossos padres. E as paróquias que podem devem ajudar as mais carentes.

DÍZIMO NÃO É UMA CONTRIBUIÇÃO, É UMA RETRIBUIÇÃO.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo 4º final de semana - julho

AS DIMENSÕES DO DÍZIMO

Vamos refletir sobre a dimensão missionária. Todos os batizados são missionários, diz o Vaticano II. Isso implica a obrigação de cada um de nós em evangelizar, levar a todos a dimensão da fé. Muita gente ainda não conhece o Evangelho de Jesus Cristo. Isso porque  ainda não houve quem fosse até essas gentes para dar testemunho de Jesus. E será que não houve quem fosse por não ter sido enviado?

Não podemos preocupar-nos somente com a nossa salvação. A preocupação deve ser de todos.

MAS O QUE TEM A VER ISSO COM O DÍZIMO? É aqui que está a dimensão missionária do dízimo. Quando eu contribuo na minha comunidade para que ela possa desenvolver um trabalho pastoral eficiente, meu dízimo assume a dimensão missionária. COM O MEU DÍZIMO, FIELMENTE ENTREGUE, ESTOU SENDO MISSIONÁRIO e formador de agente de pastoral.

DÍZIMO NÃO É UMA CONTRIBUIÇÃO, É UMA RETRIBUIÇÃO.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo 5º final de semana - julho

DIMENSÃO SOCIAL DO DÍZIMO

Um dos destinatários do dízimo é o pobre, que por alguma razão não pode prover seu sustento.

Se eu não contribuo com o dízimo e alguém passa necessidade; um dia Deus pedirá contas: "TIVE FOME E NÃO ME DESTES DE COMER, ESTAVA NU E NÃO ME VESTISTES, ETC."

Mas à medida que eu contribuo, com o dízimo, na minha comunidade, e ela acolhe o irmão mais pobre e necessitado, meu dízimo está acolhendo o próprio Cristo. "TODA VEZ QUE O FIZESTES A UM DESTES MEUS IRMÃOS MAIS PEQUENINOS, FOI A MIM MESMO QUE O FIZESTES". Disse Jesus.

O dízimo, portanto, deve levar-me a acolher Jesus no pobre. E isto deve ser feito através da comunidade.

Se você é daquelas pessoas que fala assim: "NÃO DOU O DÍZIMO PARA A IGREJA; EU MESMO AJUDO OS POBRES E ESTÁ TUDO CERTO". Nada está certo, se pensas assim.

O dízimo tem um lugar determinado por Deus: Meu dízimo deve ser entregue na comunidade da qual participo. É a comunidade que deve assistir aos necessitados.

DÍZIMO NÃO É UMA CONTRIBUIÇÃO, É UMA RETRIBUIÇÃO.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo - AGOSTO

Que diz a Bíblia sobre o dízimo?

A palavra DÍZIMO é encontrada pela primeira vez em Gênesis 14,18-20: "Melquisedeque, rei de Salém abençoou Abraão... e Abraão deu-lhe o dízimo de tudo". Abraão ofereceu a Deus 10% de todos os seus bens, em  agradecimento. O Dízimo deve brotar da gratidão, do reconhecimento de que Deus é o Senhor de tudo. Se  tenho é porque Ele me deu.

Vamos analisar dois textos bíblicos, para sabermos o verdadeiro significado desta palavra e suas exigências.

Em HEBREUS 7,4 lemos: “Considerai, pois, quão grande é aquele a quem até o patriarca Abraão deu o dízimo dos seus mais ricos espólios".

Irmãos, se  Abraão, nosso pai na fé, entregou o dízimo. Quem de nós pode se auto-isentar?

Em DEUTERONÔMIO 12,11-28 lemos: "Então, ao lugar que o Senhor, vosso Deus, escolheu para estabelecer nele o seu nome, ali levareis vossos DÍZIMOS, e as ofertas que tiverdes prometido ao Senhor....".

Aqui fica claro que o dízimo deve ser entregue à comunidade onde participo da missa e demais sacramentos. Há muitas outras passagens bíblicas sobre este preceito divino. Creio que estas são suficientes para deixar em evidência nosso dever, como filhos de Deus, de entregar na casa de Deus o que a Ele pertence. Você é livre para escolher entre o dar o dízimo ou negá-lo. Mas lembre-se que o estará negando não à Igreja, mas ao próprio Deus.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo - SETEMBRO

QUEM DEVE RECEBER O DÍZIMO?

O Pároco é quem deve receber o dízimo dos paroquianos. Não podendo, ele indica uma equipe, Pastoral do Dízimo, a quem devemos confiar nosso dízimo.

Todos os meses, o tesoureiro, que faz parte da Pastoral do Dízimo, deve prestar contas ao Pároco e ao Conselho da Comunidade, dos gastos como também do relatório de arrecadação do dízimo. O dizimista tem o direito de ter acesso a este relatório. Procure a Pastoral do Dízimo.

Certa vez um senhor me falou que não contribuía com o dízimo e ofertas, porque não confiava nos  administradores que o padre havia colocado à frente da Paróquia. Mas o engraçado é que este homem nunca tentou participar e cooperar com sua comunidade. Claro que é mais fácil criticar, para justificar nossa omissão.

Quando estamos errados, buscamos nos outros uma razão para justificar nossos erros. Um erro não justifica outro.

DÍZIMO NÃO É UMA CONTRIBUIÇÃO, É UMA RETRIBUIÇÃO.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO do dízimo - OUTUBRO

ESPIRITUALIDADE DO DÍZIMO

Numa dimensão bastante abrangente, podemos apresentar a espiritualidade do dízimo através da vivência das virtudes teológicas: fé, esperança e caridade.

Hoje refletiremos sobre a virtude da fé: O dízimo é uma íntima e profunda relação entre a pessoa de fé e Deus. Deus dá a força para o trabalho manual, inteligência para o seu desenvolvimento, e a pessoa de fé responde a Deus com parte do que recebe como recompensa por seu trabalho.  Na fé ou através da fé, o cristão se sente envolvido no plano salvífico de Deus. Então daí brota a sua gratuidade para a colaboração ou a devolução do dízimo.

A Palavra de Deus nos mostra que dízimo e fé caminham juntos e são inseparáveis. Pois seria contraditória a fé que professamos na Palavra de Deus e não acreditar no dízimo. O dízimo é uma experiência de fé, pois ele brota da fé.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - NOVEMBRO

ESPIRITUALIDADE DO DÍZIMO

Podemos apresentar a espiritualidade do dízimo através da vivência das virtudes teológicas: fé, esperança e caridade.

Hoje refletiremos sobre a virtude esperança. Como espiritualidade para o dízimo, trago presente o que o Papa Bento XVI mencionou na sua Carta Encíclica quando escreveu: amar a Deus requer a liberdade interior diante de cada bem possuído e de todas as coisas materiais: o amor de Deus revela-se na responsabilidade pelo outro e também na esperança por uma conscientização sobre o valor e a importância do dízimo em nossa Igreja que não cansamos de rezar e motivar os demais cristãos para viver esta experiência.

“DÍZIMO NÃO SE PAGA, SE OFERECE.

O DÍZIMO É UMA QUESTÃO DE FÉ."

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - DEZEMBRO

ESPIRITUALIDADE DO DÍZIMO

 

Apresentamos a espiritualidade do dízimo através da vivência das virtudes teológicas. Hoje refletiremos sobre a virtude da caridade.

A virtude que toca direta e profundamente na espiritualidade do dízimo é a caridade. É através dela que despojamos o nosso coração do apego aos bens materiais e colocamo-nos a caminho para a vivência do amor para com Deus e com a comunidade. Entregar o dízimo na comunidade é um modo de cultivar a própria espiritualidade do dízimo. Pois, é ai que mostramos o zelo pela nossa Igreja.  É da caridade que nasce a espiritualidade do dízimo como um gesto de comunhão e partilha. O exercício de oferecer o Dízimo, mensalmente, nos ensina as mais belas lições no decorrer do dia-a-dia, como por exemplo, o desapego, a regularidade, a confiança em Deus, a justiça, a misericórdia e a fidelidade. A cada dia, Deus nos dá oportunidade de desenvolver esses aprendizados. Por isso, o dízimo é altamente educativo. Além disso, ele faz parte do Plano de salvação de Deus.

 

“DÍZIMO NÃO SE PAGA, SE OFERECE.

O DÍZIMO É UMA QUESTÃO DE FÉ."

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

ANO “C”

 

MINUTO do dízimo - janeiro

DEFINIÇÕES DO DÍZIMO

 

Para o Antigo Testamento, o Dízimo significa a devolução da porcentagem de 10% do que conseguimos produzir, colher no campo, na lavoura, no rebanho etc, e ganhado honradamente. Enfim, é a décima parte recolhida como taxa religiosa.

Esta prática é antiga e era uma prá­tica de culto. No Novo Testamento o pagamento de todos os Dízimos era uma prova da piedade. A Igreja Católica no Brasil, a partir do Documento sobre a Pastoral do dízimo, em conformidade com a nova defi­nição do 5º Mandamento da Igreja: "Suprir as necessida­des materiais da própria Igreja, segundo as próprias pos­sibilidades", concebe o Dízimo de forma diferente de como foi praticado entre o Povo de Israel, com o seu rigor aritmético. Todavia, devem ser preservados seus pontos básicos: "Sistemático, Espontâneo e Proporcional aos rendimentos".

 

"O DÍZIMO NÃO É UMA QUESTÃO DE FALTA OU SOBRA DE DINHEIRO, É UMA QUESTÃO DE FÉ."
LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

MINUTO do dízimo - FEVEREIRO

O QUE SÃO OFERTAS?

Ofertas são contribuições espontâneas ocasionais que surgem quando somos tomados pela graça de Deus. Diferente, portanto, do dízimo, que é uma contribuição mensal, sistemática e periódica. O dizimista também deve dar sua oferta e o ofertante deveria ser dizimista. Aliás, todos os cristãos, se assumissem seu compromisso de batizados, seriam ofertantes e dizimistas.

A oferta acontece quando vamos à santa missa. O momento do ofertório é a hora apropriada para, diante do altar do Senhor, manifestar nossa gratidão pelos dons recebidos na semana.

A Palavra de Deus é clara e não deixa dúvidas quanto às ofertas. Lemos em Deuteronômio 16, 16-17: "não aparecerão diante do Altar do Senhor de mãos vazias, mas cada um oferecerá conforme as bênçãos recebidas do mesmo Deus."

Se por ventura você, de fato, acha que não tem o que oferecer a Deus, lembre que tem sua vida, sua família, seus amigos, seus projetos, sua fé... O fato é que na hora da apresentação das oferendas devemos nos apresentar diante do altar do Senhor e a Ele apresentarmos nossa oferta.

"A comunidade se CONSTRÓI

com a participação de todos".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - março

O DÍZIMO DINAMIZA A COMUNIDADE

 

Os cristãos que optam por oferecer o dízimo aprendem as mais belas lições. São elas: partilhar, superar as amarras do egoísmo, corresponsabilidades, fidelidade, confiança em Deus e muitas outras. Aprendendo essas lições, o cristão torna-se mais eficiente em seu trabalho paroquial, profissional, na família e na sociedade.

O dízimo deve manter tanto a Igreja-povo, como a Igreja-templo. Se todos os católicos colaborassem com o dízimo e a oferta, nossas paróquias seriam melhor organizadas e a evangelização, mais eficiente. As experiências vêm demonstrando que as paróquias que aderiram ao dízimo estão prosperando com maior facilidade e rapidez. É necessário que todos os paroquianos sejam evangelizados. É de grande importância o ensino sobre o dízimo em todas as pastorais e movimentos da Paróquia, pois bom número de fiéis envolvidos nos trabalhos da igreja ainda não são dizimistas.

"a comunidade se CONSTRÓI com a participação de todos".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - ABRIL

DEUS É PAI, NÓS SOMOS SEUS FILHOS.

 

Como filhos de Deus temos que zelar pelas coisas do Pai. Deus fez a parte d'Ele, cabe a nós fazermos a nossa.

Ele, na sua bondade infinita, instituiu a sua Igreja para evangelizar, catequizar, santificar, servir ... . Mas, para que a Igreja de Cristo possa desempenhar a sua vocação evangelizadora no mundo, ela necessita de recursos materiais e esses recursos devem provir de nós, seus filhos, que somos e formamos a Igreja viva de Cristo aqui na terra. Muitos devem ter ouvido dizer: "vou dar uma esmola à Igreja."

O que você acha disso? Estaria certo você dizer: "vou dar uma esmola à minha mãe?"

Para a mãe não se dá esmola! Ela tem direito de ser amparada pelos seus filhos.

Pois bem, a Igreja é nossa mãe! Por isso ela deve ser amparada por cada um de nós.  O dízimo foi deixado por Deus para dar o amparo e sustentação à Igreja e cada um de nós é responsável por ela. Com seu dízimo, você ajuda a Igreja a seguir a missão deixada por Cristo.

"a comunidade se CONSTRÓI com a participação de todos".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - maio

TRANSIÇÃO DA LEI DO DÍZIMO

 

E inevitável, hoje, quando se trata de estudar a práti­ca do Dízimo no Novo Testamento (N.T.), deparar-se com indagações. Umas formuladas com boas intenções, outras com Intenções capciosas e ten­denciosas:

Não desejo aqui arguir defesas e polêmicas contra a existência do Dízimo no N.T. Meu objetivo é apenas esclarecer que:

O Dízimo, tal como fora prescrito pela Lei mosaica e que fora praticado durante um longo período da his­tória "sob forma de legislação", em nenhum momento no N.T. afirma-se a sua obrigatoriedade; mas vemos claro que os cristãos tinham consciência de que devi­am dar sua contribuição material para as necessidades da Igreja.

Portanto, podemos concluir que a comunidade primitiva não precisava da legislação do dízimo, como no Antigo Testamento, posto que todas as famílias sabiam e cumpriam generosamente este preceito. Por isso, nenhum livro do N.T. tratou claramente deste tema.

"a comunidade se CONSTRÓI

com a participação de todos".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA LOUVADO.

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - junho

RELAÇÃO LEI  E GRAÇA NA PRÁTICA DE JESUS

 

Jesus foi bem claro e bastante incisivo ao afirmar em Mt 5, 17-18: “Não pense que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim abolir, mas dar-lhes pleno cumprimento. Eu garanto a vocês: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem sequer uma letra ou vírgula serão tiradas, sem que tudo aconteça.”

Apesar do desejo explícito de Nosso Senhor em cumprir a Lei, Ele se mostrou bastante livre e flexível quanto à aplicação da mesma.

Quem aceita Jesus como Salvador, precisa reinterpretar o Antigo Testamento tendo por base o ponto de Vista de Jesus em quem Deus se revelou.

O dízimo e a oferta, do ponto de vista de Jesus, não são dados à Igreja por cumprimento da Lei, mas por gratidão a Deus a quem tudo pertence.

O dizimista e ofertante se comportam como o leproso que voltou para agradecer a Jesus pela graça recebida.

"O DIZIMISTA É PARCEIRO DA COMUNIDADE".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA LOUVADO.

 

 

MINUTO DO DÍZIMO 1º FINAL DE SEMANA - julho

QUANTO DEVO OFERECER PARA DEUS?

Em  Provérbios 11,24-25 lemos: “Há quem dá com liberalidade e obtém mais... A alma generosa será cumulada de bens; e o que largamente dá, largamente receberá.” São Paulo diz que “mais feliz é aquele que dá do que aquele que recebe.”

Cada um de nós já experimentou a alegria em ajudar um necessitado. Sentimo-nos bem.

Há pessoas que tem muito dinheiro, mas são infelizes. Por que será? O fato de ser rico é ruim? Deus é contra os ricos? São Paulo diz que, quando fazemos do dinheiro nosso deus, ele é perigoso, "atormenta e aflige as pessoas.”

Ser rico não é mal, o mal está no egoísmo e na infidelidade a Deus. E isso ocorre com ricos e não ricos.

Em 2º Coríntios 9,6-12 está dito que o valor do dízimo quem determina é o coração de cada um de nós. Se amamos a Deus e sua igreja, manifestamos esse amor também materialmente. Portanto, do 0 a 100% , cada um defina com quanto contribuirá.

"A COMUNIDADE SE CONSTRÓI

COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS".

SEJA DIZIMISTA. SEJA COMUNIDADE.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

 

MINUTO DO DÍZIMO 2º FINAL DE SEMANA - julho

QUAL PARTE DAR A DEUS?

Abel dava o melhor dos cordeiros, e Deus aceitou sua oferta. Caim, ao contrário, dava o fruto estragado do seu campo, dava o que não prestava, e Deus não aceitou sua oferta. Temos que dar o melhor de nossos bens, "as primícias".

Lemos em Provérbios 3,9-10: “Honra o Senhor com teus haveres, e com as primícias de todas as tuas colheitas. Então, teus celeiros se abarrotarão de trigo e teus lagares transbordarão de vinho”.

Devemos servir a Deus com os dons que Ele nos deu. Devemos dar o melhor de nossas palavras, o melhor dos nossos sentimentos e dar nosso dízimo de acordo com nosso amor e carinho ao nosso Deus que tanto nos dá.

"a comunidade se CONSTRÓI

com a participação de todos".

SEJA DIZIMISTA. SEJA COMUNIDADE.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

 

MINUTO DO DÍZIMO 3º FINAL DE SEMANA - julho

O DÍZIMO VAI RESOLVER MEUS PROBLEMAS FINANCEIROS?

O dízimo não resolve os problemas financeiros. Ele estabelece o princípio da fidelidade.

Certo dia um senhor falou: faz cinco meses que assisti a uma palestra sobre o dízimo. Comprei o livro sobre o assunto. Acreditei no que falaram. Mas nestes cinco meses, que me tornei dizimista, meu salário não aumentou. O que dizer sobre isso?

É! Isso acontece com alguns dizimistas. Mas mesmo assim devemos ser obedientes e observadores dos preceitos divinos.

Todavia, o verdadeiro dizimista deve perceber que a bênção de Deus vem em outras áreas. É só parar e ver como Deus está agindo em sua vida, em sua família.

Sem aumentar o salário, Deus multiplica seus bens. É assim que Deus abençoa os dizimistas. Deus nos ama muito e nos dá aquilo de que precisamos e não aquilo que muitas vezes queremos.

O DÍZIMO NÃO É UMA QUESTÃO DE FALTA OU SOBRA DE DINHEIRO, É UMA QUESTÃO DE FÉ."

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

 

MINUTO DO DÍZIMO 4º FINAL DE SEMANA - julho

BÊNÇÃOS ESPIRITUAIS

Três bênçãos espirituais são experimentadas pelos dizimistas e ofertantes fiéis: Em primeiro Lugar, o dízimo e as ofertas contribuem para a felicidade daqueles que obedecem à Bíblia, pois toda a generosa divisão de riqueza resulta em felicidade para aquele que contribui. Esta lei é básica para a vida. Em segundo lugar, o dízimo e as ofertas contribuem para a saúde física. Como? Trazendo ao cristão uma fé confiante, em que Deus abençoará aqueles que entregam o dízimo, libertando-os do apego aos bens materiais. Em terceiro lugar, o dízimo constitui uma porta aberta através da qual o poder de Deus pode vir à vida. O dízimo e as ofertas causam vida alegre e abundante.  Concluo afirmado que o dinheiro do cristão é uma parte de si mesmo, de sua mente, de sua força e de sua vida. Quando traz seu dízimo está dando uma parte de si mesmo a Deus. Por tal ato, ele vem para mais perto de Deus. O dízimo não é uma compra da bondade de Deus, é um grato reconhecimento das bênçãos já recebidas.

 

LOUVADO SEJA N. S. J. C.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO DO DÍZIMO 5º FINAL DE SEMANA - JULHO

O QUE DIZ A BÍBLIA A RESPEITO DO DÍZIMO?

 

A questão do dízimo gera dificuldade e resistência para muitos católicos. Em muitas igrejas protestantes, o dízimo recebe excessiva ênfase. O dízimo e as ofertas deveriam ser uma alegria, uma bênção. Mas raramente é o que acontece na nossa igreja.

Dar o dízimo é um conceito do Antigo Testamento. O dízimo era exigido pela lei na qual todos os israelitas deveriam dar ao Templo 10% de todo o fruto de seu trabalho e de tudo o que criassem (Levítico 27,30; Números 18,26; Deuteronômio 14,22; II Crônicas 31,5; Malaquias 3,8-10).

O Novo Testamento, em lugar algum, determina certa porcentagem de ganhos que deva ser separada, mas apenas diz “conforme a sua economia” (1º Coríntios 16,2). A igreja católica basicamente tomou esta proporção (10%) do dízimo do Antigo Testamento e a incorporou como uma recomendação. Entretanto, os cristãos não deveriam se sentir obrigados a se prender sempre à quantia de 10%. Deveriam sim, dar de acordo com suas possibilidades. Lembre-se o que nos diz são Paulo em 2º Coríntios 9,7: “Cada um dê conforme decidir em seu coração, sem pena ou constrangimento, porque Deus ama quem dá com alegria”.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - agosto

O DÍZIMO DOS ISRAELITAS

 

Lê-se em Deuteronômio 26: “Quando você entrar na terra que Javé seu Deus lhe prometeu dar como herança, quando tomar posse dela e habitar aí, pegue os primeiros frutos que você recolher da terra, coloque-os num cesto e vá ao lugar que Javé seu Deus tiver escolhido para aí fazer habitar o nome dele...”.

Este texto repre­senta a legislação religiosa da entrega dos Dízimos. Ao oferecer os dízimos o povo de Israel se lembrava dos quarenta anos passados no de­serto, sob a firme condução de Deus.

À semelhança dos Israelitas, o cristão igualmente, hoje, ao devolver o Dízimo, o faz em gratidão pelo que o Senhor realizou abundantemente em sua vida, em sua história.

O povo de Israel tinha motivações religiosas para levar ao Templo sua oferta e seu Dízimo: eles sentiam que Deus era o doador da vida.

Porque a maioria dos católicos não se comporta como o povo de Israel, tranzendo à Igreja sua oferta e seu dízimo?

(fazer uns segundos de silêncio)

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - SETEMBRO

TRAZEI O DÍZIMO À CASA DO SENHOR

 

Lê-se em Malaquias 3: “... pode um homem enganar a Deus? Pois vocês me enganaram! No Dízimo e na contribuição (...) Tragam o Dízimo (...) para o cofre do Templo, para que haja alimento em minha casa ...” Esta passagem dá a entender que o povo e os sacerdotes dão sinais de negligência,  não cuidando do templo, uma vez que o mesmo era mantido rigorosamente pelos dízimos e ofertas.

Encontramos muitos católicos, inclusive agentes de pastorais, dizendo que dão o dízimo através da doação de cestas básicas, esmolas, etc. De­sejo dizer a estes católicos que não me oponho a tais práticas, até mesmo porque são livres quanto à aplicação dos bens que lhe pertencem. Todavia, segundo a Bíblia, o dízimo tem um local certo onde deve ser entregue: na Igreja.

É importante ressaltar que só após ter cumprido o preceito do dízimo e da oferta é que o católico consciente deveria acudir às necessidades  de outras comunidades, entidades, etc.

 

"A COMUNIDADE SE CONSTRÓI

COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - OUTUBRO

DAR MUITO E COLHER MAIS AINDA

Lemos em 2º Coríntios 9, 6-15: "... Aquele que semeia pouco, pouco ceifará. Aquele que semeia em profusão, em profusão ceifará. Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama o que dá com alegria..."

Há quem ensine que esta passagem bíblica trata de uma negociata com Deus. Dar mais, querendo, com isso, "comprar" Deus para ter mais. Ora, com Deus não se negocia. Nada do que vem d’Ele é comprável.

A mensagem desta passagem bíblica contraria os pensamentos humanos. A nossa lógica pede para não dar, a fim de acumular e ter mais. É a  marca do egoísmo e da falta de amor. A mensagem de Deus porém, é outra, é de doação e de amor.

Ofertar significa dar. Dar com alegria. Dar a Deus, porque Ele deu tudo o que somos e temos.

Assim, devemos continuar sendo generosos em nossas ofertas e dízimos, possibilitando que a Igreja de Deus tenha os recursos necessários para se desenvolver neste mundo.

"A COMUNIDADE SE CONSTRÓI

COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - novembro

A DESONESTIDADE DE ANANIAS E SAFIRA - At 5, 1-11

 

Na comunidade primitiva era grande o amor en­tre eles. Chegavam a vender o excedente e colocar em comum. E todos viviam felizes. Vendo isso, o casal Ananias e Safira quis também entrar nessa comunidade. Eles possuíam um terreno. En­tão combinaram vender a propriedade e dar a devida por­centagem para a comunidade. Mas não estavam converti­dos de coração. Por isso, combinaram em dizer que haviam vendido por uma pe­quena quantia. Feito o negócio, Ananias foi entregar a Pedro a devida porcentagem. E Pedro intrepidamente disse: Ananias, por que você deixou Satanás tomar posse do seu coração? Por que você está mentindo para o Espírito Santo, conservando uma parte do preço do terreno?

A mentira do casal provocou a ira de Deus. Eles não eram obrigados a fazer parte da comunidade. Mas, dado que quiseram entrar, deveriam ter dito a verdade. Afinal, quem matou Ananias e Safira? Foi a ganância pelo dinheiro.

Não seria o caso de você repensar a sua devolução por meio do Dízimo?

Cuidado! O mau espírito pode penetrar numa pessoa como um dia penetrou no coração de Ananias e Safira.

"a comunidade se CONSTRÓI com a participação de todos".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

 

 

 

MINUTO DO DÍZIMO - DEZEMBRO

ANO NOVO, ATITUDE NOVA

 

Somos católicos, nascemos em famílias católicas, vamos à missa, participamos dos sacramentos, fizemos a primeira comunhão, confessamo-nos..., e parece que pouca coisa muda em nossa vida. Dificil­mente você ouve dizer que um católico, sentiu ou viveu uma nova experiência de vida. Tudo parece ser igual. Sou igual a todos e... quase nada muda na minha vivência cristã.

Tenho uma proposta de vida diferente para você, no próximo ano, se encantar com a possibilidade de fazer algo novo em sua vida cristã: o dízimo. Ser dizimista poderá ser a sua chance de recomeçar um modo novo de viver a fé de uma forma mais enriquecedora. O dízimo é uma experiência maravilhosa de vida, é uma forma de experimentar Deus, e é isso que está faltando na vida de muitos cristãos.

Esta é a proposta que oferecemos: faça a experiência de ser dizimista e verá que a promessa de Deus se cumpre em sua vida.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

PARA SEMPRE SEJA  LOUVADO.

Última atualização em Sex, 06 de Maio de 2016 18:51